Sem um contrato de trabalho, você não é um Cyber Atleta!

É isto mesmo que você leu, sem contrato de trabalho, você não é considerado um Cyber atleta, e eu vou lhe explicar o porque, neste texto!

 

  1. O que é um contrato tácito ou escrito?

  2. Como funciona um contrato de trabalho?

  3. Contratos de Cyber Atletas!

  4. Como um jovem pode se tornar um profissional?

  5. Sem um contrato de trabalho, você não é um Cyber Atleta, profissional!

 

Antes de mais nada, traremos aqui uma definição do que é um contrato de trabalho, para que você não tenha dúvidas do que significa.

De início, a definição do contrato individual de trabalho é dada pela CLT, no art. 442.

Assim, Contrato de Trabalho é um acordo que pode ser feito de forma verbal ou tácito, escrito ou expresso e que trata das relações de emprego, entre empregado e empregador.

Portanto, é um vínculo de emprego entre ambas as partes, definida por meio de um contrato de trabalho que mostra a prestação dos serviços a serem exercidos.

Além disso, para a realização das atividades, o indivíduo precisará da Carteira de Trabalho, um dos principais documentos que constarão as atividades realizadas profissionalmente por um trabalhador.

 

O que é um contrato tácito ou escrito?

De maneira bem simples, contrato tácito é o tipo de acordo feito com base na confiança entre empregado e empregador e não há um documento para comprová-lo;

Já o contrato escrito é o acordo representado pelo contrato de trabalho que deverá conter todas as obrigações e deveres de empregado e empregador.

 

Como funciona um contrato de trabalho?

De acordo com o tempo de duração, os contratos de trabalho podem ser classificados: por tempo indeterminado e determinado.

Os Contratos por Tempo indeterminado são os contratos sem prazo para finalizar. É necessário que haja anotação na Carteira de Trabalho no prazo de até 48 horas, até mesmo nos casos de experiência.

Por outro lado, os Contratos por Tempo Determinado são aqueles com prazo definido para ser encerrado! Geralmente, são utilizados nos casos de serviços que possuem características transitórias.

Há também o Contrato de Experiência que funciona como um teste e não pode ultrapassar o período de 90 dias. Ele é considerado um tipo de contrato por tempo determinado.

É importante que você entenda que, os atletas de alto rendimento, como os Cyber Atletas, são submetidos as regras da Lei Pelé, que rege as regras do esporte.

Logo, existe uma diferença no tipo de contrato a ser assinado entre o atleta e o clube ou time em que ele irá defender.

 

Contratos de Cyber Atletas!

Os contratos dos Cyber Atletas são muito semelhantes aos dos jogadores de futebol e demais modalidades de esportes, pois, são regidos pela Lei Pelé, como falamos acima.

Logo são contratos por prazo determinado, com duração de no mínimo 3 meses e no máximo 5 anos.

Assim, é importante falar que, em razão da atividade do Cyber atleta ser exercida de maneira específica, diferentes dos trabalhadores normais, não seria compatível um contrato de trabalho por tempo determinado de 5 anos, por exemplo.

Existe também a figura das cláusulas penais indenizatória e compensatória, que são multas contratuais, devidas pelas partes uma à outra no caso de rescisão unilateral do contrato.

Com essas duas características, prazo determinado e as cláusulas penais, conferem ao atleta aproveitar as oportunidades que apareçam e garante ao clube a compensação caso não consiga manter um grande talento.

Entretanto, também devem ser observadas as regras específicas de cada modalidade e jogo.

Essa regra inutiliza a cláusula penal, deixando o atleta mais vulnerável, não podendo ouvir propostas sem a permissão do clube que atualmente representa, sob pena de punição desportiva – que pode chegar até à suspensão e ao banimento.

 

Como um jovem pode se tornar um profissional?

Um atleta de esporte profissional tem uma rotina de treinos baseado em melhorias individuais e coletivas.

Ele não joga apenas por jogar, os atletas profissionais sempre buscam evolução.

Logo, pensam no jogo coletivo e treinos dos times, sabe ouvir as dicas dos treinadores e aplicar na hora do jogo.

Diferente dos jogadores amadores que muitas vezes não conseguem seguir os treinos individuais e procuram se dedicar apenas quando estão próximos a disputar torneios.

Buscam títulos individuais e não se preocupam tanto com o coletivo. Com isso, não se firmam nos times, pois têm dificuldade em trabalhar o coletivo.

 

Sem um contrato de trabalho, você não é um Cyber Atleta, profissional!

Uma equipe profissional de E-Sports tem uma gestão que passa por manager, coach e analista, além de um elenco com reservas, todos com contrato assinado.

Alem disto, eles seguem um cronograma de treinos e vive em uma gaming office ou gaming house.

Normalmente uma equipe ou atleta amador de E-sports tem treinos regulamentares, mas apenas próximos dos campeonatos.

Não tem uma gestão estruturada e muitas vezes não assinam contrato com os jogadores ou não seguem rigorosamente os contratos.

Com isso, os atletas acabam não tendo muita sequência e nem se dedicando como pede a profissão.

Logo, muitas vezes a equipe perde a sua estrutura e escalação e não conseguem se manter, por não serem os mesmos jogadores sempre!

O motivo pelo qual quem não tem um contrato assinado não é considerado um Cyber Atleta, acontece porque ele não tem subordinação nenhuma a qualquer local.

Para você se tornar um profissional, é necessário assinar um contrato, onde tenham presentes os elementos que caracterizam o trabalho:

  1. Pessoa Física: ser exercido por uma pessoa física;
  2. Não Eventualidade: o trabalho prestado deve ser contínuo, permanente, não podendo ser realizado apenas de vez em quando.
  3. Onerosidade: Ter uma contra prestação, ou seja, ter uma remuneração pelo trabalho.
  4. Subordinação: Está subordinado a uma equipe, empresa.
  5. Alteridade: o resultado do trabalho do cyber atleta pertence ao empregador que assume os riscos do negócio

 

jogador de eSports de fundo, com uma imagem falando "quero consultar um advogado"

Este post tem um comentário

Deixe um comentário